domingo, 26 de janeiro de 2014

"O silêncio, o que é o silêncio? perguntei ao mestre. - Uma floresta cheia de ruído."


E era Pretérito perfeito
Simples assim...
Por tanto tempo
Calei-me
Calaste-te...
Num ímpeto quebrou-se o silêncio, e, a linguagem realizou o que o silêncio pretendia e não conseguiu .
Confissão.
"Na profusão de palavras o pecado não falta; mas aquele que fecha os lábios é sábio." (Mishlê 10:19)
Pecado é dizer, ou sentir?
"Não é bom que toda a verdade revele tranquilamente a sua essência"
O silêncio é o melhor rebuço para quem não se quer revelar, ou fazer-se conhecer."
Pretérito mais-que-perfeito composto...
Eu tinha-me calado...
"... não podia dizer, porém seus pensamentos eram totalmente audíveis, e ela temeu que alguém pudesse escuta-los, de certa forma estaria enfrentando seus próprios sentimentos, querendo que parassem de surgir, ela na verdade, não gostava de sentir.”
E o alívio vem do poeta:
"Podemos prometer atos, 
mas não podemos prometer sentimentos..."
Mas o futuro é simples
Quando eu me calar
e tu te calares
estaremos mais pertos da santidade...
"Para tudo há um tempo, e um tempo para cada propósito sob os céus... um tempo de manter o silêncio, e um tempo de falar." 
Futuro do Presente do Indicativo
Calarei...
"...Sou o dono da palavra: depois que eu falo, a palavra é minha dona." 
Já dizia Clarice:
"Eu sei criar silêncio. É assim: ligo o rádio bem alto – então de súbito desligo. E assim capto o silêncio. Silêncio estelar. O silêncio da lua muda. Pára tudo: criei o silêncio. (...) O silêncio não é o vazio, é a plenitude."
Quero a plenitude...
A paz, a  sensatez, a razão sobrepondo-se a emoção.
Quero aquietar meu 
 coração...
Postar um comentário