sexta-feira, 8 de novembro de 2013

“Quem está na rua teve um caminho para chegar lá e agora precisa de um caminho para sair de lá com suas próprias pernas”.


Imagem tirada do Drd da nossa cidade...
Exemplo de "Olhos que enxergam"
Solidariedade e amor ...

“Quem está na rua teve um caminho para chegar lá e agora precisa de um caminho para sair de lá com suas próprias pernas”.
Essa frase me chamou muito a atenção esta semana,
acho que porque me impressionei muito com um "curto" diálogo que tive com um morador de rua neste último fds.
Sempre tive uma ideia "assistencialista"; ideia de certa forma herdada pelos meus pais que sempre foram generosos
e com uma capacidade muito grande de amar as pessoas
principalmente aquelas em situação de rua...
Aprendemos lá em casa a respeitar o morador de rua,
jamais seríamos capazes de qualquer "violência" contra eles; pelo contrário, sempre apendemos a partilhar o pão.
Assim continuei...
Um cafezinho aqui, outro alí, um prato de comida
aqui outro acolá... Fiz bem! Pensava...
Meus pais eram sábios dentro do conhecimento deles,Também eram generosos,tinham compaixão e amor...
Jamais esquecerei os seus ensinamentos.
Hoje, tenho uma outra percepção...
Eu sei que há pessoas das mais diferentes classes sociais pelas ruas das cidades do Brasil.
As Causas não são fáceis de serem conhecidas e não há uma única causa, há uma complexidade de causas que desumanizam a vida...
E a vida fica tão desumanizada que as pessoas acabam abandonadas... Acho que é por aí...
Mas é preciso ter a compreensão de que não é a causa sabida que imediatamente muda a situação...
Tive a oportunidade de conhecer alguns moradores de rua "daqui"que tem casa, pais e parentes.
Entraram no mundo das drogas e a família não suportou a convivência com eles... Também porque os mesmos expunham as famílias à violência do tráfico...
Realidade triste...
Mas quem sou eu pra julgar essas famílias?
Bem disse Richardson Costa,
"A rua pra quem vive nela, é muito mais que um simples lugar; é uma triste condição de vida, imposta pelo destino, por escolhas erradas do passado e falta de oportunidades do presente”
A gente as vezes reclama do poder público ( e acho que devemos mesmo reclamar nossos direitos), faço isso sempre.
Mas eu faço uma reflexão:
Que dia que eu tive tempo pra conhecer os programas existentes na minha cidade, que dia eu tirei pra dar uma passadinha na Creas Pop de Valadares?
Ainda não fiz esse tempo...
Mas como bem canta o poeta Renato Russo:
"Todos os dias quando acordo. Não tenho mais. O tempo que passou. Mas tenho muito tempo. Temos todo o tempo do mundo."
Ainda tenho esse tempo...


Postar um comentário