sábado, 26 de maio de 2012


Minha vida tem sido uma descoberta atrás da outra.
Tres filhos jovens é sinônimo de "verdades absolutas não existem"
Isso de certa forma acorda-nos pra vida.
Faz-nos perceber que existe um mundo diferente que nossos olhos não querem enxergar,
existe uma escolha que qualquer um pode fazer e é perfeitamente possível ser feliz com ela.
A partir desse pressuposto é que permito-me "questionar" o que me foi ensinado...

 

 
   Um pouquinho de Luciano Medrado...
  (Pedagogo (UESB) e Esp. em Educação Especial. BA.)

"Esse meu mundo trago bem perto para não me perder no vazio existencial.  Nele sou sendo inteiro sem reservas. Minha vida é única e nesse mundo único sou no conjunto das coisas e das pessoas. Se dele quiser participar é preciso pedir licença. Não entre de forma grosseira, não vá invadindo todos os espaços saiba demorar em alguns, busque me conhecer e ficando saiba que conhecido será também. Ficar é relação de troca. Eu me dou a ti à medida do teu ficar e se permanecer foi porque tudo foi verdade.
Ao observar a minha vida eu percebo o quanto eu tenho que me comprometer comigo mesmo. O maior conforto que eu preciso buscar é está feliz comigo mesmo, é saber que sou sempre o ser humano que eu posso ser. Quero me olhar sem excessos. Quero me olhar com os meus olhos e não com olhos alheios que me deixam despido, destituído de mim mesmo e da verdade que sou. Em meus silêncios eu me encontro, me descubro e me reinvento porque sou feito de “feituras”. Preciso me enxergar com olhos de futuro e isso é maravilhoso. E assim eu vou tecendo a vida, reescrevendo a minha história. "


"O importante é saber fazer as necessárias travessias no imenso mar de quem somos. Já dizia o Fernando Pessoa: “Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e se não ousarmos fazê-la; teremos ficado,, para sempre, à margem de nós mesmos”.


segunda-feira, 14 de maio de 2012

"... O verdadeiro amor, para transbordar em benefícios, precisa trabalhar sempre".



O amor se alimenta da presença,
da palavra, do gesto.
Perfeitamente compreensível...
Vivencio-o...





Sei de um amor
que sobrevive a décadas ausente, 
Sem palavras e  sem gestos ...
Não se explica...


Carlos Drummond, nosso grande poeta  certa vez escreveu:
"existem muitas razões para não se amar uma pessoa, mas apenas uma para amá-la".
Talvez ele esteja certo pelo menos no sentido poetico da questão...
Estamos longe de saber amar somente com poesia e assim, buscamos incansavelmente as razões...

Talvez seja  por isso que as vezes dói...