segunda-feira, 13 de agosto de 2012



Lembro-me bem quando seu  coração silenciou
e eu continuei a ouvir o eco da sua voz
e ainda  assim eu não fiz nada a não ser recolher  aquele silêncio e seguir.
Seguimos caminhos diferentes; sabemos. 
No entanto, de alguma forma acho  que eles se entrelaçam;
talvez por isso a saudade insista em pedir espaço,
como se esse tal eco, fizesse mágica em nós;
aproximando-nos, despertando-nos...
O carinho aflora  de forma tão pura, tão especial,
tão próximo, que mal ousamos tocá-lo por tamanha delicadeza.
Sinto que a última coisa a qual queremos que aconteça
é que esse sentimento se quebre, ou seja esquecido algum dia; pura magia...
E eu que pensei que mágica fizesse parte de um outro plano...
Mágica! Ela existe, talvez se chame amor.
Invisível , mas a gente sabe que existe
E assim, ao som de Reaching Out Bee Gees...


"Lembrei da dança que nunca existiu.
Que falta ela me faz..."
E de repente alguem pergunta: 
" E por que não dançam agora? O Sol já vai nascer.
Respondo:
" Acontece que, para nós, o Sol já se pôs. E nunca dançamos"


Postar um comentário