sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Parte XXV Emoções que os os olhos não podem ver mas que a alma sente e se enche de ternura


De volta!
A cidade
, a rotina...
D. Hera não comentou o acontecido.
Tampouco falou sobre a "escapulida de Íxia "
Era um segredo entre mãe e filha.
Uma demonstração de afeto e confiança que
Íxia jamais esqueceria.

A vida seguiu...
Três meses se passaram.
Agora, já era setembro.
Início de primavera.
Estação com o poder de despertar sentimentos,
suscitar fios de lembranças
Fazer a mente voar e os pés alcançar as nuvens tocados pelo encanto...
Emoções que os os olhos não podem ver mas a alma sente e se enche de ternura
Com a alma cheia de FELICIDADE assim se sentiu com a carta de Lirio
convidando-a para sua formatura.
Sentia-se feliz por ele.
Uma conquista importante para um pássaro em vôo...
O que sentia por ele nunca deixaria de ser amor.
Talvez aquele amor simplesmente transformasse. se renovasse de outra forma; mas sempre, sempre seria amor...
Torcia pela sua felicidade mesmo que não estivesse envolvida nela.
Quem sabe estivesse...
O coração de Íxia era assim; em alguns momentos, se fechava, mas para aquele amor sempre existia uma fresta...

Seu amor era como um diamante, seu brilho não se deteriorava com o tempo.
A verdade, era que não se podia simplesmente esquecer um amor,
apaga-lo da mente e fingir que nunca existira.
..
Vivaz, sua melhor amiga talvez lhe dissesse:
- "Vire a página"
Mas ela, embora fosse apenas uma adolescente, no seu caso, em relação aquele amor, sentia; não podia virar a página sem esgotar todas as possibilidades de sua leitura...

Postar um comentário