quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Parte XV Sentir-se flor, pura magia...


Desde que seus olhos cruzaram com os de Lirio sentia-se enamorada;
Voltou a sua cidade poucas vezes , mas sentia seus sentimentos crescerem a cada encontro.
Já não se importava quando diziam que seu amor era fantasia,
que havia inventado um namorado....
Acreditava que Lirio havia entrado em sua vida não por um mero acaso;
mas pra deixá-la feliz. Pra que acreditasse no amor, pra sentir-se flor ...
Sentia vontade de compreender Lírio; entender seus olhos e seu coração.
Estava apaixonada!
Dessas paixões que "dormia e acordava" com ela.
Colocava seu nome escrito num papel debaixo do travesseiro,
dica que seguia a risca para sonhar com ele
Treinava frente ao espelho o beijo que um dia lhe daria...
E foi assim desde então...
Ele era o seu namorado. Eram diferentes.
Íxia apesar de ainda tão menina, era subjetiva, mais emocional, cheia de sentimentos;
Lirio era mais pratico, racional e realista; embora fosse romantico...
Somavam-se.
Ausência querendo a presença
.
Era assim o seu amor...
T
entaram fazê-la acreditar que o amor não existia
e que seus sentimentos não passavam de pura ilusão.
Mas ela era teimosa e insistia em construir castelos sem pensar nas marés;
Acreditava na magia dos sonhos.

E sonhou...
Durante um bom tempo pensou nele e viveu um amor quase que "platônico"...
Ele?
Foi ser marinheiro ...
Postar um comentário