quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Parte XIII Ciumes...


Ixia atravessou a avenida repleta.
7 de setembro era uma festa; um acontecimento grandioso.
As ruas tinham colorido diferente; as cores do
BRASIL!
Amava esse movimento!
Ficou completamente emocionada com a bandinha da escola,
o
som de cornetas, os instrumentos de couro cru,
as coreografias, os alunos impecavelmente vestidos,
professores e os familiares.
Tudo isso encheu o coração e os olhos da menina Ixia.
Ainda não compreendia o significado de Independência;
mas amava sua Pátria e em seu coração brotava a sensação de justiça;
semente da verdadeira liberdade.
Estava linda!
Vestia uma calça azul clara e uma bluzinha branca.
Os cabelos loiros estavam soltos ao vento.
Os olhos verdes estavam ainda mais vivos.
Vivacidade que permitiu
identificá-lo em meio a tanta gente.
Estava "gato"! O uniforme lhe caia muito bem.
Tudo nele era perfeito! Jeito, olhar, sorriso...
(pensava baixinho...)
Faltava alguns minutos para o desfile.
Lirio olhava para um lado e outro como se procurasse alguém ..
Quis acenar, mas recuou.
E se não estivesse procurando por ela? Conteve-se.
Seu pensamento foi interrompido, quando uma menina aproximou-se dele.
Deviam ser da mesma sala pois usavam o mesmo uniforme.
Ele lhe sorriu e falou alguma coisa ao seu ouvido.
Tirou do bolso alguma coisa e entregou a ela
Parecia um tipo de broche que ela se adiantou em colocar na camisa dele.
Aquela proximidade, aqueles sorrisos trocados pelos dois doeu fundo em Íxia.
Naquele instante arrependeu-se de ter ido.
A pele muito branca contribuiu para acentuar ainda mais as bochechas
avermelhadas pelo desconforto;
Desviou os olhos e continuou embaraçada.
Só pensava em sumir dali. Queria esquecer "aquela existência"...
Atravessou apressadamente a avenida se segurando para não chorar.
Para completar, tropeçou feio quase indo ao chão e teve até vontade de gritar:
"Pare o mundo que eu quero descer"!
Não gritou. O mundo não parou.
Apressou-se em voltar pra casa. Ainda bem que a alguns metros dali
encontrou o primo de Vivaz que a levou de Lambreta pra casa!
Neste dia Ixia experimentou pela primeira vez a sensação desagradável de ciumes,
medo de tornar-se excluída; excluída da possibilidade do encontro, do terno e doce amor.
Esse ciume que fez com que enxergasse com lentes de aumento coisas pequenas;
A verdade; é que a diferenciação entre o que é real e o que é imaginário,

Não era tão simples pra uma menina ...

Postar um comentário