quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Parte VIII "Se eu não te amasse tanto assim Talvez não visse flores"

No céu , um emaranhado de nuvens carregadas não deixavam à vista nenhuma estrela.
Dona Iris não teria deixado que saissem se não fosse o jeito interessante de compreender Vivaz.
Era terna, embora tivesse aquele jeito meio durão de chamar a atenção...
Prometeram voltar logo. Só iriam se despedi, afinal era o último dia.
Despedida, palavra que doía em Ixia...
Todos estavam lá.
Ixia tingiu de brilho novo o verde dos seus olhos.
A luz que emanava dos olhos de Lirio alcançava-a
O fato de "sentir" aquele amor tornava-a uma menina diferente.
Tinha asas , podia até tocar o céu...
Se tornava FLOR...
Estava frio e a turma se limitou a bater papo.
Um deles sugeriu a brincadeira de passar anel. Talvez a pedido de Lirio, vai saber...
Ixia estava com o anel, sentiu uma imensa vontade de deixá-lo nas mãos de Lirio, sentiu vergonha.
Ele não, num toque leve, suave o deixou em suas mãos.
A chuva começou a cair forte e interrompeu a brincadeira
Ela se apressou em entregar o anel.
Sentiu o chão trepidar embaixo dos seus pés quando ele timidamente colocou-o em seu dedo.
Talvez fosse um anel de brinquedo desses que acompanhavam um doce, um pirulito.
Pra Ixia? Uma jóia inestimável. Uma prova de amor.
Ixia e ViVaz estavam fritas! D Iris já havia avisado.
Lírio se ofereceu a levá-las com o guarda chuva.
Quisera Ixia que o caminho fosse mais longo pra poder passar mais tempo em sua companhia...
Na despedida no portão Lirio olhou-a nos olhos, apertou suas mãos e disse baixinho:
- amanhá vou vê-la na estação.
Despediram-se com um olhar silencioso e secreto
O amor puro, doce ingenuo acontecia "dentro deles"
Ninguém mais precisava saber...
Sentiam-no ...

Postar um comentário