domingo, 5 de dezembro de 2010

"Amanheci com a alma empoleirada no ramo mais alto da árvore grande da saudade..."

Há domingo assim...
O tempo parece parar
e a gente parece se prender
em lugares em que o tempo parou...
Fios de lembranças desfilam na memória
despertam sentimentos que até hoje não compreendo
Traços de encanto que os olhos não vêem, mas que a alma sente...
O tempo levou tanta coisa,
tanta gente...

Postar um comentário