sexta-feira, 16 de abril de 2010

"Sou responsável quando deixo que outro faça por mim o que me cabe."


Cabisbaixo!
Acuado indefeso
Olhar perdido,
Fulminante triste
Fruto da violência
Negligência dos pais
Descaso social.
Ferido!
Físico emocional
Vem meu anjo,
Deixe-me curar essas feridas
espalhadas pelo seu corpo
frágil, raquítico
As feridas da alma?
Sabe-se lá o que se passa
nesse coração inocente
que bate acelerado
e ainda me diz docemente
"Tia cê é um anjo"


Não fui um anjo, meu anjo!
Tenho sensibilidade
Percebi seu olhar perdido
seu corpo ferido.
Curei suas feridas
Só isso!
Meu sofá cômodo
Minha mesa farta
Meus problemas "grandes"
Impediram-me de lutar por você
Deixei-te sem vez e sem voz...
No jornal a notícia
Tombado! morto !
Condenado!
Meu dedo em riste
aponta os culpados: Governo, sociedade...
E eu?
Parte integrante dessa sociedade,
Cidadã consciente
Decido pelo voto, quem governa

Culpada ou inocente?
(Regina Paoli)


Postar um comentário