domingo, 4 de abril de 2010

Momento de poesia



Meu amor é assim
feito borboleta tímida...
Pousa, tira o néctar,
sem ruídos...
Como se nunca tivesse estado ali...
A verdade, é que de sua flor
nunca em tempo algum se afastou...





Um dia,
Eu te quis "chão"
Você?
Quis ser pássaro
Voou na imensidão...
Eu frágil borboleta,
te alcançar não consegui...
Te perdi...



Te quis "rio"

Você?
Preferiu ser mar...
Eu um barquinho,
seu navio não consegui alcançar,,,
Continuei rio...
Você, mar...
Rio e mar seguiram cursos diferentes
Encontraram os dois, "portos seguros"...



Ontem, te quis palavra
Te quis raiz
Te quis rio
Nada disso importa mais...
Se queres ser silêncio
que seja o mistério...
Se queres ser mar
que seja o infinito...
Se queres ser pássaro
voar,voar, voar...
Só um pedido:
Não esqueça minha janela
Nela, venha pousar...
Postar um comentário